Agora, municipalizado, o Colégio Polivalente ingressa em um novo modelo de gestão escolar conforme proposta da Secretaria Municipal de Educação (SME) de Livramento de Nossa Senhora e da atual administração Governo Paulo Azevedo. Considerado um dos maiores prédios escolar da sede do município, o Polivalente nesta nova etapa de municipalização conta com 615 alunos matriculados nos turnos matutino e vespertino, sendo 392 pela manhã e 223 no período da tarde.

Também conhecido como Escola Estadual Polivalente a unidade educacional ganhou reforma geral de todo o prédio, mobiliário novo, incluindo novas carteiras, área externa, campo soçaite e cantina, além de um corpo docente composto por professores selecionados mediante pedidos de remoção enviados para a sede da secretaria, tendo como condição fundamental a habilitação específica. A equipe de gestão conta com Givanildo Rocha Oliveira, Carlos Antônio Alves Prado, Ezilma Ramos Luz e Maria Gizelda de Souza Lessa.

 

Municipalização

 

O Colégio Polivalente de Livramento já vinha sofrendo um processo de esvaziamento com a evasão de alunos matriculados em outras unidades de ensino o que, inclusive, resultou a sua inclusão também no processo de nucleação das escolas estaduais e municipais em todo o país, conforme determina a Constituição Federal promulgada em 1988, que trata da criação dos sistemas públicos de ensino no Brasil e instituiu os municípios como entes da Federação, jurídicos, com responsabilidades próprias e com liberdade para a criação dos sistemas municipais de ensino.     

De acordo com o secretário de Educação, Tiãozinho Professor (Sebastião Fernandes Oliveira), o projeto de municipalização da antiga Escola Estadual Polivalente atende ao processo de crescimento da importância deste município na oferta da educação e sua significativa ampliação da taxa de escolarização da população em nível local, entre 7 e 14 anos, assegurada também na Lei de Diretrizes e Bases (LDB), nº 9.394/96 que determina ser os municípios responsáveis pela educação infantil e pelo ensino fundamental, os Estados pelo ensino fundamental e ensino médio e a União pela educação superior.